Entrevista Pedro Macedo – ADELMAC

Como surgiu a ideia de criar a ADELMAC?

A ideia de criar a ADELMAC veio da necessidade de representar a empresa Urnas Macedo Unipessoal, Lda. no estrangeiro. O nome comercial da sociedade não era o recomendado para lidar com clientes internacionais pela dificuldade que estes iriam ter em pronunciá-lo e, com o apoio do Portugal 2020, nomeadamente a internacionalização, surgiu a oportunidade da criação de uma nova marca, à qual demos o nome comercial de ADELMAC.

Em quem/quê que se inspirou para a criação da marca?

A marca surgiu de uma vontade antiga em homenagear o meu bisavô, uma vez que foi com ele que começou a dedicação da nossa família a este ramo tão específico. Ele começou “do zero” e conseguiu vencer na vida e, na minha opinião, não há nada mais inspirador do que uma história como esta. A marca acaba por ser um tributo a ele, sendo que o seu nome era Adelino Macedo e dessa conjugação surgiu o nome ADELMAC.

O que recorda do seu bisavô como empresário?

Não tive o prazer de privar com o meu bisavô porque, infelizmente, aquando do meu nascimento ele já tinha falecido. Contudo, ficaram as histórias que desde pequenino me fascinaram e me chamaram à atenção para a seu percurso de vida, nomeadamente para o facto de vir de uma família pobre. Lembro-me perfeitamente de ouvir a minha avó contar que o meu bisavô andava a pedir esmolas com o pai dele na rua, porque o meu trisavô era cego. Aliando isso às adversidades características da época, o facto de ele ter conseguido vencer e ultrapassar esta situação, com muito trabalho e dedicação, orgulha-me. É recordado por muitos como uma pessoa impulsionadora do mercado e de génio superior, tanto a nível da inovação do produto, como na forma de lidar com o negócio. Era uma pessoa com uma presença social grande, que ajudou a inaugurar alguns dos mais prestigiados espaços públicos da nossa terra, que ainda hoje fazem parte do quotidiano das pessoas. Recordo com muito carinho e admiração o nome dele.

Quem lhe passou os conhecimentos técnicos desta área?

Os conhecimentos técnicos desta área ainda me estão a ser passados e conto com o apoio do meu pai nessa tarefa. Toda a parte técnica vem dele e da experiência que tem neste ramo. Alguns ensinamentos passaram de geração em geração, até que estão, finalmente, a chegar a mim. O meu bisavô passou para os filhos o que sabia, entre os quais estava o meu avô que, por sua vez, passou os ensinamentos ao meu pai. E agora é a minha vez de aprender.

Como define a marca ADELMAC?

A ADELMAC é uma marca sofisticada e transparente, que prima pela qualidade dos produtos. Para isso apostamos permanentemente em inovação.

Como foi a reação do mercado ao lançamento da ADELMAC?

A reação foi positiva. Nesta primeira fase, ainda nos estamos a dar a conhecer, mas as pessoas têm recebido com agrado a nossa marca. Temos uma boa imagem, um espírito dinâmico e versátil. Está a ser uma experiência bastante positiva.

Como foi a primeira feira internacional em que a ADELMAC marcou presença em termos de retorno (contactos feitos, novos clientes)?

A nossa primeira feira internacional foi em Paris, no parque de exposições Le Bourget, e decidimos apostar no nosso produto tradicional, o que se revelou uma decisão bastante positiva tendo em conta a recetividade das pessoas. A ideia passou por mostrar algo diferente ao público francês e esse objetivo foi conseguido porque, para além de adaptarmos os nossos produtos ao mercado francês, também quisemos levar algo nosso, nacional e, com isso, conseguimos despertar a curiosidade das pessoas. Quase toda a gente que visitou a feira ouviu falar de nós, pela inovação e pela originalidade dos nossos produtos. Claro que isto se traduziu em contactos e potenciais novos clientes, mas ainda é um pouco cedo para fazer uma análise mais profunda do retorno desta feira.

Pelos materiais de comunicação que disponibilizam, é notória uma preocupação com a imagem e com o rigor em mostrar cada detalhe. Em que medida acha que isso o irá diferenciar no mercado?

No mercado nacional são poucas as empresas no nosso setor que se preocupam com a imagem e com o rigor. Cada vez mais esses aspetos têm de estar presentes no modelo estrutural da empresa. Nós tentamos fazer a diferença mostrando que nos preocupamos. A imagem de uma marca é fundamental para o conceito que se quer transmitir.

O que mais poderá tornar a ADELMAC uma marca diferente dentro do segmento em que se insere? Os valores e princípios?

A ADELMAC é uma marca que nasce de valores como a transparência, o trabalho árduo, o espírito vencedor. Somos uma marca moderna com raízes tradicionais. Vamos apostar na inovação, vamos lançar novos modelos, vamos criar uma linha ecológica. No fundo, vamos tentar trazer algo de novo para um mercado que é, ainda, um pouco tradicional.

Que objetivos têm para 2018?

Em 2018 vamos continuar com a forte aposta na internacionalização. As pessoas já começam a conhecer a ADELMAC e o objetivo é fazer com que não se esqueçam de nós. Temos programadas algumas feiras internacionais para o próximo ano, mas o grande objectivo passa pela construção de instalações novas, que devem ficar prontas no verão de 2018. Este é o grande ponto de viragem para a empresa e, com as condições que iremos ter, vamos ser capazes de inovar ainda mais e aliar a isso a experiência no ramo inerente à minha família… Penso que a ADELMAC tem tudo para dar certo. Resumindo, apostaremos na internacionalização, inovação e em dar continuidade ao bom trabalho que temos vindo a realizar.

Como imagina a ADELMAC daqui a 10 anos?

10 anos? É muito tempo! Prefiro pensar com os pés no chão, mas tenho grandes planos para o futuro. Há alguns fatores de risco no nosso mercado e é difícil tentar imaginar como as coisas vão funcionar daqui a 10 anos. O mundo está em constante evolução, o que hoje é novidade, amanhã já é ultrapassado. Temos que tentar acompanhar a evolução ou ficamos para trás e isso não pode acontecer. O que posso sugerir é que acompanhem o nosso trabalho, porque temos muitas novidades para lançar ao longo dos próximos anos. A ADELMAC é uma marca com futuro e para o futuro.